Diagnóstico de Gestão Financeira

Home/Notícias/Diagnóstico de Gestão Financeira
gestão financeira4

Fazer um diagnóstico é a primeira coisa a ser feita para termos consciência de como estamos em determinado aspecto da vida.

No caso de uma empresa, é literalmente parar alguns momentos de pensarmos em outras coisas e focar apenas na analise dos processos financeiros existentes.

Você pensa e pergunta para si mesmo e atribui uma nota. Essa nota é a qualificação que você dá para a gestão financeira.

O diagnóstico de gestão (modelo abaixo) é um questionário onde o empreendedor vai responder atribuindo uma nota de 1 a 10 que vai gerar um mapa de qual é o seu nível de satisfação diante, alguns aspectos de finanças empresariais.

A nota 1, significa pouco satisfeito e necessita de muito trabalho de melhoria no processo ou de aumento de conhecimento de sua parte. A nota 10 significa que ele está satisfeito e não precisa de mais nada a fazer. Este mapa, então, vai ser utilizado para priorizarmos as ações que precisam ser feitas.

Assim sendo, qual a nota de 1 a 10, você daria para os itens baixos, considerando o grau de satisfação com a sua empresa, para que ela tenha uma boa gestão financeira?

 

Modelo

Exemplo

Preencha

sua avaliação

 

Nota 1 a 10

 

Grau de importância

 
Calculo preço de venda

3

Controle de custos

4

Controle de vendas

9

Margem de contribuição

2

Controle de custos fixos

4

Informações contábeis para decisões

8

Prazo médio de estoques

5

Prazo médio clientes e fornecedores

8

Ciclo Financeiro

6

Capital de Giro

9

Endividamento

5

Orçamento

7

Informações gerenciais

8

Indicadores Financeiros Metas e Resultados

9

Se o diagnostico de gestão que você viu anteriormente mede o nível de GESTÃO financeira de sua empresa. Já o diagnóstico financeiro mede os resultados financeiros de sua empresa. É como um Chek UP.  Equivale a avaliação preventiva da saúde do corpo humano. Todo mundo faz avaliações do se negócio, quer seja de forma estruturada ou não. O problema é que sem uma linha mestra de avaliação não se faz um medição correta e completa. O diagnostico precisa contemplar as análises individuais de “desempenho” e ao mesmo tempo exigem uma compreensão dos significados de todas elas como um sistema.

Assim, por exemplo, acompanhar apenas a evolução de faturamento, mas não saber se o preço de venda está corretamente formado ou, se seus ciclos financeiros estão adequados, de forma a não exigirem sacrifícios de caixa, é fundamental.

Entretanto, para ser possível fazer este diagnostico é necessário a existência de informações dos negócios de forma organizadas, fornecidas pelo contador ou pelo próprio empreendedor, tais como: Balanço Patrimonial, Demonstrativo de Resultados, Fluxo de caixa, planilhas de controles financeiros, controle de estoques, contas a receber, contas a pagar orçamento (se existir), margens praticadas, controle de vendas, ponto de equilíbrio.

Exemplo:

Variáveis Empresariais (Resumo) Ano 1 Ano 2 Ano 3 (último)
NLCG – Necessidades Líquidas e Capital de Giro 20 30 40
Tesouraria (saldo de caixa – dívida com bancos) 50 70 80
CDG – Capital de Giro 90 95 98
Ebitda 90 110 120
Dívida Líquida (saldo de empréstimos com bancos  CP e LP caixa) 10 7 6
Liquidez Corrente 1 1 1
Capital circulante líquido 30 40 50
Ciclo Financeiro
Ponto de Equilíbrio
Margem de Contribuição
Endividamento
Indicadores de Resultado
Crescimento vendas 25% 20%
Margem bruta sobre vendas 20% 20% 25%
Margem operacional sobre vendas 15% 15% 17%
Despesas operacionais sobre vendas 5% 5% 8%
Ebitda sobre vendas 15% 15% 17%
Lucro líquido sobre vendas 12% 12% 14%
Retorno sobre  ativos (ROA) 18% 18% 20%
Retorno sobre patrimônio líquido (ROE) 20% 20% 25%

gstão financeira8

Tendo informações já se pode apurar e mensurar de forma concreta onde está aparecendo os problemas caso existam.

Então, com base nas informações colhidas das analises, deverão ser preparados os planos de ações para resolvê-los.

Resumindo: O diagnóstico Financeiro é feito com a colheita de dados de diversos demonstrativos que apuram de forma combinada a situação financeira e econômica da empresa no momento atual. Ele dá suporte para as ações de melhoria.

Os três principais demonstrativos para fazer um Diagnóstico Financeiro básico são:

BALANÇO, DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS E FLUXO DE CAIXA

Quando a empresa elabora esses demonstrativos podemos facilmente identificar com muita clareza a sua situação financeira.

Basta olhar os números e coloca-los na forma de indicadores financeiros conforme vamos aprender adiante.

1º Passo – Conceitos básicos de contabilidade e finanças

Eu sei que todo empreendedor é pratico e objetivo, quer vender, mas sem um mínimo de educação financeira para negócio sua empresa tem poucas chances de sucesso. Assim segue abaixo alguns conceitos e modelos importantes para começar.

Balanço Patrimonial

Mostram ativos e passivos.

Ativos são os saldos de tudo aquilo que é registrado bens e direitos a receber (dinheiro em caixa, estoques moveis, instalações, etc).

Passivos são as obrigações a pagar (impostos, fornecedores, etc.) e o seu Patrimônio Líquido (Capital e Reservas). O Balanço É uma fotografia da sua empresa. Retrata um momento estanque da situação financeira da empresa.

Os ativos são agrupados por “ordem de liquidez”, quanto mais próximo de conversão em dinheiro mais elevado fica na hierarquia do grupo. Exemplo a conta caixa é a primeira conta da hierarquia. O imobilizado é o último, pois ele está sujeito ao preço de mercado e influenciado por depreciação, antes de ser convertido em dinheiro.

O passivo, por sua vez, fica estruturado por ordem de maior exigência de pagamento pelos credores. Os bancos são os primeiros.

Indicadores de Balanço Patrimonial

Os indicadores mais básicos são os de liquidez. A Liquidez informa a capacidade potencial de pagamento da empresa, em termos de disponibilidade de recursos.

Dá uma visão imediata da operação vigente. Devem ser analisados como uma tendência do que representa a situação econômica da empresa.

Possuem algumas limitações quanto à análise conclusiva como a falta de dinâmicas, pois representam um retrato da empresa como ela fosse liquidada exatamente no momento da leitura do balanço. O número indicador resultante buscado é aquele que seja o menor. “Quanto menor melhor”. Este indicador é resultado da divisão de contas dos ativos pelos passivos. Assim, uma situação adequada é quando a empresa tem um numero índice pelo menos superior a “1”. Para cada 1 de dívida ter mais do que 1 de bens e direitos.

A liquidez seca – representa o quanto os ativos a receber em curto prazo (até um ano), excluindo os estoques, cobrem todo o passivo circulante ( dívidas de curto prazo);

A liquidez corrente expressa a relação simples de ativos circulantes sobre passivos circulantes.

A liquidez geral – Apura a liquidez geral da empresa (curto + longo prazo)

Exemplo

1 – Liquidez Ano 1 Ano 2 Ano 3
Liquidez Seca 0,20 0,71 0,32
Liquidez Corrente 0,96 0,83 0,71
Liquidez Geral 1,91 1,87 1,80

 

Bem, hoje ficamos por aqui . no próximo post falaremos sobre o CCL (Capital Circulante Líquido)

Eu sou o Carlos, escrevo também sobre finanças pessoais e coaching no Blog www.sampaiosucessofinanceiro.com.br e

tenho canal youtube  https://www.youtube.com/c/CarlosSampaioSucessoFinanceiro

 

Sou criador do programa de educação financeira on line “o Segredo da Prosperidade financeira” http://curso.sampaiosucessofinanceiro.com.br/

e do programa “Como Viver Sem Dívidas” http://dividas.sampaiosucessofinanceiro.com.br/

 

Escrito por

Sem informações sobre o autor

Leave a Comment